Notícias

[Diversidade] Prefeitura de Laguna nomeia servidora transgênero

Postada em 20/06/2017 às 17:27:59

Interação:

[Diversidade] Prefeitura de Laguna nomeia servidora transgênero
(Imagem: Ilustração)

A Parada do orgulho LGBT movimentou o país no último final de semana. Nas redes sociais e veículos de comunicação muitas manifestações coloridas remetem ao assunto e lembram a luta, de anos, no combate a homofobia e as manifestações em prol da garantia dos direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais.

Em Laguna, numa demonstração de respeito às liberdades e igualdade de gênero, o prefeito, Mauro Candemil nomeou no dia 1º de junho, a transgênera Kelly de Amorim, mais conhecida como Babalu, para trabalhar na Secretaria de Serviços Públicos, no setor de Protocolo. É a primeira servidora transgênera nomeada pela Prefeitura a assumir um cargo comissionado de atendimento ao público.

Natural do bairro Portinho, Babalu tem forte atuação em movimentos de diversidade, sendo membro da Sociedade Recreativa e Cultural Zoo Party e atuante em eventos que remetem ao assunto. “Sempre fui muito bem resolvida. Nasci na melhor família que poderia ter. Nunca sofri preconceito dentro de casa e acho que isso me ajudou bastante a nortear a forma como eu encaro situações que podem ser constrangedoras”, salientou. Babalu ainda conta que se assumiu “trans” aos 16 anos e essa é a primeira oportunidade que lhe foi oferecida de emprego fixo. “Minha vida mudou neste quase 1 mês. Eu já trabalhei em outros lugares, mas nunca foi algo com compromisso e horário”.

Sobre ter passado por situações pontuais neste primeiro mês de trabalho, Babalu afirma que não teve problemas. “Como o setor que estou é diretamente ligado ao atendimento ao público pode ser que venha a acontecer algum constrangimento. Já percebi olhares, mas por enquanto, nenhum tipo de ofensa ou alguém se recusou a ser atendido por mim. Caso isso ocorra, eu simplesmente chamo outra pessoa para atender. Não tenho objetivo de arranjar confusão. Estou aqui para trabalhar”, frisa.

Ela ainda ressalta que a aceitação dos colegas tem sido ótima. “A Prefeitura de Laguna está de parabéns, porque abriu portas, sem nenhum tipo de restrição. Sem contar a grande ajuda que estou tendo das servidoras do setor que tem me auxiliado muito”, e acrescenta, “para os gays é muito mais fácil porque não está estampado a orientação sexual deles, a não ser que façam questão de mostrar. Já para os trans acaba sendo muito mais difícil”.

“Na verdade a nomeação de uma transgênera deveria ser algo comum se não fosse a importância deste gesto para nossa comunidade e toda a histórica desumanidade. Me sinto um exemplo, porque o trans é sempre muito marginalizado e muitos são condenados a viverem na obscuridade, quando na verdade o que falta é oportunidade. Eu sou a prova disso, porque hoje eu posso ser o que eu quiser, onde eu quiser e quando eu quiser”, conclui.

 

Texto: Fabiana Pangrácio
Jornalista - SC 3895 JP

Imagens da matéria

>> Visualizar imagens para download

Mais notícias