Pontos turísticos

Roteiro de Anita Garibalde

Por onde o turista passar, encontra história em todas as ruelas do centro histórico de Laguna. Vamos percorrer os locais onde o passado remete a história do povo lagunense.

Casa da rua do rincão

Esta edificação de arquitetura luso-brasileira, localizada na antiga Rua do Rincão, foi a casa onde Anita viveu com seus pais, no início da adolescência. Em ruínas, esta edificação passará por restauro pelo Ministério da Cultura - IPHAN.

Fonte da Carioca

Fonte da CariocaÉ a conhecida fonte dos namorados e da juventude, que segundo os moradores enfeitiça com o poder cristalino de suas águas quem dela bebe, trazendo o poder da juventude eterna e a certeza de volta à histórica Laguna. Segundo historiadores foi a água desta fonte, que nasce da terra, quem motivou a localização da cidade por seu fundador. Construída em 1863, foi ampliada em 1906 e restaurada em 1990. Até hoje a população se abastece desta água para beber. Seus tanques, revestidos de mármore carrara deixam a água fresca, gelada e saborosa.

Casa Pinto D'Ulisséa

Casa Pinto D'UlisséaÉ uma réplica de uma quinta portuguesa, totalmente revestida com azulejos importados de Portugal. Uma casa de muito luxo para a época, 1866.

Casa de Anita

Casa de AnitaRestaurada na década de 70 e transformada em relicário histórico. Ali Anita vestiu-se para casar a primeira vez. Contém uma urna com terra da sepultura de Anita Garibaldi, do cemitério de Ravena, Itália.

Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos

Igreja Matriz Santo Antônio dos AnjosSubstitui a antiga capela de pau-a- pique construída pelo fundador Domingos de Brito Peixoto, em 1696. Seus restos mortais estão enterrados na capela-mor.

Quando fundou a vila de Laguna, Brito Peixoto trouxe consigo uma pequena imagem do “santo casamenteiro” - Santo Antônio. Outra escultura foi esculpida na Bahia, feita em cedro, no século 18.

Muitas obras de arte adornam os altares da Igreja Matriz, como a famosa obra do pintor catarinense Victor Meirelles, (Imaculada Conceição - “La Madonna” - Roma: 1856).

Foi na matriz que Anita se casou com “Manoel dos cachorros”.

Marco de Tordesilhas

Marco de TordesilhasA 7 de Junho de 1494, foi assinado entre Portugal e Espanha o Tratado de Tordesilhas, que fixava uma linha divisória a 370 léguas a oeste de Cabo Verde, passando ao norte no Pará e ao sul em Laguna.

Mirante de Nossa Senhora da Glória

De braços abertos para quem chega na BR-101, já se pode avistar do alto do morro, dividindo o centro histórico e o Mar Grosso, à beira mar.

Este monumento foi construído em 31 de maio de 1953, pelo escultor alemão Alfredo Itaege.

Pedra do Frade

Pedra do FradeLocalizada na extremidade da Praia do Gi, desafia a lei da gravidade ao sustentar-se sobre uma superfície inclinada. Essa formação rochosa de nove metros de altura e cinco metros de diâmetro, recebeu o nome pela semelhança com um padre franciscano. Estudiosos relatam duas histórias sobre o monumento: a primeira diz que a Pedra do Frade foi colocada estrategicamente pelos índios pré-históricos que habitavam a região, há mais de 3 mil anos. A outra, mais conhecida, aponta a Pedra do Frade como o marco inicial do Tratado de Tordesilhas, acordo assinado entre Portugal e Espanha, em 1494. Há ainda a tese dos espiritualistas, que afirmam que ali há presença extra-terrestre – quem visita o lugar abraça a Pedra do Frade e consegue sentir uma energia fora do normal.

Estátua N.S. da Glória

Estátua N.S. da GlóriaDo alto do Morro da Glória, tenha uma vista panorâmica das praias e da cidade.

Farol de Santa Marta

Farol de Santa MartaEste seja talvez a maior atração turística de Laguna - o Farol de Santa Marta atrai milhares de turistas ao local por suas belas paisagens cercadas por praias, com as melhores ondas do país, atraindo os praticantes do surf e do sand board.

Considerado o maior das Américas e o terceiro do mundo em alcance, está distante 17 KM do centro da cidade. Foi construído por franceses em 1891.

Museu Anita Garibaldi

Museu Anita GaribaldiO prédio data de 1735, primeira edificação construída para a fundação da Vila. No século 18, passou a ser a Casa da Câmara e Cadeia. Nesta edificação foi proclamada a República Catarinense, em 1839. A partir de 1949, o casarão passou a ser um museu.