---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

planejamento
Um ano após uma das piores enchentes da história, município já recuperou 95% dos estragos

Publicado em 25/05/2020 às 16:51 - Atualizado em 25/05/2020 às 17:17

As fortes chuvas do dia 24 de maio de 2019, acima de 270mm, conforme divulgado pela Coordenação da Defesa Civil Estadual, superou a média mensal de chuvas. Final de tarde de uma sexta-feira que marcou a vida dos lagunenses.

 


A Defesa Civil de Laguna na época realizou um relatório detalhado dos prejuízos. Passado um ano, aproximadamente 95% dos estragos já foram consertados, através de recursos próprios, afirma o secretário de Obras, Renato de Oliveira. "Foram dias intensos, de muito trabalho", descreve. Moradores contribuíram limpando as frentes de suas casas e organizando os entulhos para as máquinas da prefeitura recolherem. Nas escolas, pais e professores realizaram mutirão para limpar as salas de aula. 

 

 

A chuva provocou desabamento de encostas, inundação das vias e logradouros públicos, danificou ruas, prédios públicos e residências.

 

 

Uma das mais atingidas na época foi a Rodovia João Batista Wendhauser, no Distrito do Ribeirão Pequeno, aguarda o valor de R$ 1.280.225,42 (um milhão, duzentos e vinte e cinco reais e quarenta e dois centavos) por parte do Governo do Estado de Santa Catarina para continuidade da obra que encontra-se paralisada por falta de recursos.

 

 

Principais pontos atingidos

 


Os principais pontos atingidos foram Barbacena, Bentos, Cabeçuda, Nova Fazenda, Ribeirão Pequeno e Grande, Madre, Figueira, Bananal e Praia do Sol.

 

 

Força-tarefa


Foram realizadas ações nas localidades que estavam intransitáveis e oferecendo risco à população. Marinha e Exército incorporaram a força-tarefa, juntamente com Defesa Civil, Guarda Municipal, Polícia Ambiental, Polícia Militar, Bombeiros e os órgãos municipais, na realização de melhorias e manutenções.

 

 

Assistência Social

 


Mais de mil pessoas foram beneficiadas. A Secretaria de Assistência Social organizou as doações da comunidade e distribuiu cestas básicas, produtos de higiene, material de limpeza, cobertores, colchões, calçados e roupas. As equipes do Cras e Creas realizaram o cadastro e visitaram famílias atingidas pela enxurrada, principalmente no bairro Portinho, Barbacena, Vila Vitória e Progresso.

 

Na época a aposentada Isolete Maria Rodriguês, 66 anos, teve a casa invadida pela água barrenta. Moradora da popular Rua da Granja, no bairro Progresso, recebeu auxílio das equipes da Secretaria de Obras e Assistência Social.

 

 

Defesa Cívil


A Defesa Civil de Laguna realizou um relatório detalhado dos prejuízos e encaminhou um Formulário de Informações do Desastre (Fide), que foi cadastrado no Sistema de Proteção e Defesa Civil (Sindpdec).

 


Foram contabilizados R$3.232.478,61 (três milhões, duzentos e trinta e dois mil, quatrocentos e setenta e oito reais e sessenta e um centavos). Esses valores se somam aos R$ 1.200.000,00 (um milhão e duzentos mil reais), referentes aos prejuízos econômicos da agricultura e pecuária, em levantamento técnico realizado pela Epagri em conjunto com a Secretaria de Pesca e Agricultura (Sepagri). Os dados foram incluídos no Laudo de Perdas na Agricultura e Pecuária.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar