---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

cultura
Visita no Museu Casa de Anita com ajuda da tecnologia

Publicado em 01/06/2020 às 13:36 - Atualizado em 01/06/2020 às 14:07


Créditos: Ronaldo Amboni Baixar Imagem

Por semana, no Museu Casa de Anita passavam mais de 600 visitantes. Maioria estudantes no chamado turismo pedagógico para aprender sobre história da heroína Anita Garibaldi.

 

 

Com o espaço histórico fechado, devido à pandemia da Covid-19, o precioso acervo, um material educativo e atrativo turístico, deixou de ser estudado e apreciado.

 

 

A Fundação Lagunense de Cultura com intuito de não deixar de apresentar a história de Anita Garibaldi e da cidade lançou, nesta semana, um tour virtual, com fotos de 360 graus, onde o visitante poderá entrar no museu e vasculhar os painéis com a saga de Anita: seu nascimento, casamento, as batalhas, amor por Giuseppe Garibaldi e sobre a sua família.

 

É só clicar  http://www.ronaldoamboni.com.br/360/casadeanita.html

 

 

“Disponibilizar o acervo para uma visita online é uma importante ferramenta de divulgação da Casa de Anita”, descreve a presidente da Fundação, Mirella Honoratto.

 

 

Cada vez que mudar a exposição, a plataforma digital poderá ser atualizada. A Casa de Anita tem uma série de acervo ainda em restauro. A ideia é apresentar ao público também virtualmente.

 

 

O registro veio do profissional lagunense Ronaldo Amboni, que sempre retratou as belezas naturais e históricas do município.  “Uma honra fazer parte desse projeto. As pessoas terão acesso à casa em qualquer lugar do mundo. Servirá para todos os tipos de interesses tanto escolar, acadêmico, turismo, cultural, enfim, uma ferramenta para todos”, descreve.

 

 

Ele está grato por poder mostrar, através das suas lentes, o amor e carinho por Laguna.

 

 

 

Casa onde Ana se vestiu para o casamento

 

 

Na casa típica colonial luso brasileira construída por volta de 1711 estão expostos painéis com a saga de Anita: seu nascimento, casamento, as batalhas, amor por Giuseppe Garibaldi e sobre a sua família.

 

A mulher de personalidade forte está viva nas narrativas com dados históricos. Também tem a urna com a terra onde Anita foi enterrada na Itália, uma tesoura que supostamente pertenceu à família de Ana. A certidão de nascimento emitida somente em 2002.

 

O retrato mais fiel da heroína, segundo historiadores, pintado no Uruguai, faz parte do acervo. Não existem fotos da heroína, mas sim, dos seus descendentes que estão expostos no museu.

 

A lagunense vivia na Vila em 1839, onde durante a República Juliana conheceu o companheiro Giuseppe. Eles viveram juntos por 10 anos. Morou no Uruguai e na Itália, sua última morada. Teve cinco filhos. Faleceu em 1849, em Ravenna, na Itália.

 

O edifício que sedia a Casa de Anita Garibaldi é, possivelmente, a primeira edificação em alvenaria construída na atual Praça Vidal Ramos, à época conhecida como Campo do Manejo.

 

A residência era de Anacleto Mendes Braga, que confeccionava vestidos de noivas e, muitas vezes, servia de espaço para as próprias recepções dos casamentos, como aconteceu com Anita Garibaldi, na ocasião de sua união com seu primeiro marido, em 1835.

 

 

A casa amarela, como é conhecida, não foi a residência da lagunense. Anita foi morar com o sapateiro Manoel e sua família em uma pequena casa na rua Fernando Machado, no centro da cidade de Laguna.

 

Quatro anos depois, ela conhece Garibaldi e parte para o Rio Grande do Sul, Uruguai e Itália.

 

 

Rosa de Anita

 


No pátio da Casa de Anita tem o projeto uma rosa para Anita. É uma iniciativa do museu e Biblioteca Renzi, de San Giovanni in Galilea, onde uma muda de rosa desenvolvido pelo ex-combatente Giulio Pantoli, de Ravena, que denominou Anita Garibaldi. A muda veio para Laguna em 2019.


Outras pequenas rosas estão sendo desenvolvidas pelo departamento de Agronomia da Unisul, através da trazida da Itália. As plantas serão distribuídas em todo o Estado durante as comemorações do bicentenário da lagunense celebrado em 2021.

 

 

Navio salvador

 

Uma réplica do navio Bagosso, que salvou Garibaldi em agosto de 1849, no porto Cesenático, quando o revolucionário estava na Europa na luta pela unificação da Itália, está expondo no museu. Autoria de Luiz Lauro, talentoso artista de Laguna.

 


Histórias em quadrinhos

 

Na parte externa, histórias em quadrinhos, do lagunense Custódio, ilustram a vida de Anita Garibaldi numa forma mais lúdica para crianças. A cultura açoriana como boi de mamão e os botos são apresentados ao público.

 

 

 

Mais informações

Taís Sutero - jornalista - SC1796

Assessoria de imprensa

Fundação Lagunense de Cultura

Email: comunicacao@laguna.sc.gov.br